Um dos temas a serem tratados no Fórum Mundial em Davos

Depois de alguma hesitação e reflexão, resolvi  dar a minha a minha  visão e em alguns casos compartilhar as  minha própria experiencia sobre vários temas que hoje ocupam os Mainstream  em todo o Mundo.

Procurarei manter uma regularidade bimensal na apresentação das minhas reflexões, e iriei abordar , temas- macro económicos em geral, e  em especial dedicarei várias textos ao novo o fenómeno – cripto moedas e as suas implicações a curto e médio prazo.

Hoje irei procurar analisar as duas principais posturas sobre o Tema,- Podemos ter uma crise Financeira em 2018 ?

Os  principais argumentos dos Otimistas e os Céticos sobre  esta  possibilidade no curto prazo .

Desde já uma reflexão, nenhum economista mesmo os  mais bem preparados e  com Prémios Nobéis , tem condições de prever que teremos hoje ou dentro de meses uma crise financeira  semelhante à de 2000 , 2008 ou outras , são situações muito complexas , que dependem de múltiplos fatores,  já para não falar de fenómenos exógenos com ameaças de guerra (vide exemplo EUA, versos Coreia do Norte  ) que os Mercados de maneira nenhuma ainda precificaram .

Linhas de reflexão dos argumentos dos Otimistas para com a possibilidade  de uma Crise Financeira já em 2018:

Pensam que são remotas as possibilidades, pois não detetam hoje desequilíbrios críticos que podem dar origem a uma reversão da situação Financeira atual

-O sistema Financeiro mundial tem muita liquidez, pois os principais   Bancos Centrais desenvolveram uma politica monetária fortemente expansiva .

-Há um crescimento do Produto Mundial muito elevado cerca de 3,9 %  este Ano( ultimas previsões) e será o melhor ano da  ultima década.

-O crescimento forte está difundido por muitos Países pois estes tomaram medidas de ajustamento no passado  e agora estão a recolher os resultados.

-È um crescimento transversal em todas as regiões a nível mundial, desde as Américas (Norte e central) , passando pela Europa e Ásia em particular o Japão .

-Os Bancos não estão alavancados como estavam no passado, dadas as atuais políticas fortemente regulatórias.

-Taxas de juros muito baixas que estimulam o crescimento económico a nível mundial, pois elas são propagadas a todas as regiões do Globo.

Linhas de reflexão dos argumentos dos Céticos, para com a possibilidade de uma Crise financeira a curto Prazo:

“Os Governos já não controlam mais as suas Politicas Monetárias, nuvens negras se aproximam  – no relatório de risco do Fórum Mundial”

-Uma politica monetária de injeção de liquidez, extremamente agressiva, nos últimos 10 anos, com juros muito baixos, encabeçada pelos principais Bancos centrais do Mundo (EU, Europa, Japão)  ,-vai ser insustentável , pois está a ser atingido o pleno emprego em algumas regiões nomeadamente nos EUA.

– Os Três Principais Bancos Centrais do Mundo tem balanços muito elevados, fora dos critérios de razoabilidade, pois compraram cerca de 8,35 Triliões de USD que injetaram na economia Mundial.

Naquelas três  regiões ( EUA, Europa , Japão ) o produto só cresceu no período cerca de 2,2Triliões o restante foi distribuído pelas outras Regiões

-O Preço das Ações\Ativos a nível Mundial ficou assim muito elevado e com um elevado rácio comparativamente ao lucro liquido. Na ultima década o valor das empresas em Bolsa passou de 35 Triliões  de USD para uma previsão de 85 triliões  USD no final deste semestre, o que configura uma Bolha  de grande dimensão em potência.

-As novas politicais ficais nos EUA,  de desoneração de impostos para as empresas são muito agressivas e não compatíveis com um maior crescimento do Produto interno liquido, pois está quase com pleno emprego  .

Uma degradação rapidamente a sua poupança Interna Publica, como consequência da menos arrecadação

-A China também optou por utilizar fortemente a sua poupança interna  na sua Politica  Macro económica de fortes investimentos domésticos

O EUA já começou a deixar de comprar títulos do Tesouro  e a qualquer momento os juros vão começar a aumentar para diluir as tensões inflacionárias, relacionadas com os acréscimos salariais. (dado o quase pleno emprego nos EUA que já está num ciclo mais avançado que a Europa e Japão).

Conclusão:

Num primeiro momento os otimistas parecem ter bons argumentos, há uma sensação   de bem-estar, novas oportunidades de negócios, juros baixos, saltos tecnológicos forte crescimento do PIB a nível Mundial.

O cidadão sente a sua vida melhorar, e sobretudo a ilusão que estamos numa fase de grande estabilidade-aumento dos resultados económicos e financeiros que melhorará o nível de vida no curto prazo para todos empresários e cidadãos destes Países .

Não é essa a minha opinião!

Penso que estamos a chegar ao um fim de Ciclo de prosperidade a nível Mundial nas Grandes Economias em particular nos EUA (mais avançada no Ciclo)

Logo de seguida será a vez da Europa, Japão e os outros restantes Países com significativas participações no PIB mundial

Este é  resultado de uma politica monetária dos principais Bancos centrais demasiadamente agressiva para ultrapassarem a crise dos últimos 10 anos.

Como o Mundo ainda está muito Dollarizado, qualquer medida de ajustamento nos EUA , terá efeitos  exponencias em todo o resto do Mundo e travará o desenvolvimento dos Ciclos mais atrasados até ao seu processo de esgotamento – como na Europa e Japão.

O que vamos ver com fortes impactos no fim de 2018 e  durante 2019 e 2020 ?

Um aumento das taxas de juros nos EUA  de 0.75% até ao final deste ano e  provavelmente  de mais 1.5% em 2019.

Redução drástica da liquidez, dadas as perspetivas inflacionárias crescentes, com os plenos empregos nos EUA e depois nas outras regiões a nível Mundial .

Consequência imediata- A  diminuição de liquidez no sistema  irá proporcionar uma corrida na desvalorizações dos ativos em  particular na  Bolsa , que poderão atingir  no mínimo  até  30% e em alguns casos 50%. de uma forma muito rápida.

Generalização de um grande ceticismo no crescimento  futuro nas principais Economias bem como um adiamento  de Novos Investimentos.

A Crise Financeira  durante o segundo semestre de  2019 e 2020 ,se alargará de imediato a nível Mundial, com  consequências  muito difíceis de prever hoje!

Quem dera que esteja errado!

19\01\2017

Armando Faria
Economista
CEO of Trade by Trade